Extinção da Maternidade Alfredo da Costa e Curry Cabral publicada em DR

23/02/2012 - 12:49

A partir do início do próximo mês, a Maternidade Alfredo da Costa e o Curry Cabral passam a fazer parte do Centro Hospitalar Lisboa Central, tendo um único conselho de administração. A medida enquadra-se no âmbito da reestruturação da rede hospitalar, avança o Jornal de Negócios.

 

A fusão esta quinta-feira publicada em Diário da República foi aprovada em Conselho de Ministros no passado dia 12 de Janeiro e, na altura, o Governo explicou que tal se “insere na reorganização da rede hospitalar, uma das medidas estratégicas do Governo para a área da saúde, com a concretização de uma política de maior equidade territorial e levando a cabo uma utilização mais racional e eficiente dos recursos disponíveis”.

 

Já desde Abril do ano passado que estes hospitais estão a gerir os seus recursos em conjunto, mas com os mesmos órgãos. Agora procede-se à efectiva extinção dos hospitais de origem e “cessam automaticamente os mandatos dos membros dos conselhos de administração e dos órgãos de direcção técnica das unidades de saúde agora extintas” bem como “todas as comissões de serviço dos titulares dos órgãos de direcção e chefia das mesmas unidades de saúde agora extintas, mantendo -se os respectivos titulares em exercício de funções até à designação dos novos”.

 

Com esta extinção, e para os doentes, pouca coisa muda para já, uma vez que os serviços permanecem fisicamente, mas com um único conselho de administração será possível proceder ao encerramento de serviços que existam em duplicado (o que já aconteceu com as urgências do Curry Cabral, por exemplo) a breve trecho.

 

O Centro Hospitalar de Lisboa Central, E. P. E. (até agora constituído pelo São José, Santa Marta, Capuchos e Dona Estefânia) promoverá a “reestruturação dos respectivos serviços”, lê-se no diploma que estabelece um prazo para elaboração desse regulamento interno de 120 dias.
 

Partners
Developed by