Sanofi anuncia lançamento de 18 medicamentos até 2020

21/11/2014 - 09:06


A Sanofi anunciou, esta quinta-feira, que espera lançar 18 novos medicamentos até 2020, o que poderia impulsionar as vendas em até 30 mil milhões de euros (37,6 mil milhões de de dólares) em cinco anos, avança o Valor Econômico.


A farmacêutica francesa espera lançar seis novos medicamentos no ano que vem e mais um a cada seis meses de 2016 até 2018.

 

A introdução de novos produtos no mercado faz parte de um esforço da companhia iniciado em 2008 para renovar o portefólio, já que muitos dos produtos mais vendidos pela companhia estavam prestes a ter as suas patentes expiradas, disse o CEO da Sanofi, Serge Weinberg, num comunicado numa apresentação para investidores.

 

Os novos medicamentos serão destinados ao tratamento de doenças raras e diabetes, além de problemas cardiovasculares, imunológicos e à saúde pública, afirmou Elias Zerhouni, o chefe de I&D da empresa.

 

A farmacêutica anunciou ainda que espera que as vendas de medicamentos para a diabetes sejam um pouco maiores entre 2015 e 2018.

 

Separadamente, a companhia disse que a Food and Drugs Administration (FDA), entidade que regula os medicamentos nos EUA, concordou em acelerar o processo de aprovação do Dupilumab, uma droga desenvolvida em parceria com a Regeneron Pharmaceutical para tratar a dermatite atópica.

 

 

Fonte: Valor Econômico
http://www.valor.com.br/empresas/3786518/sanofi-anuncia-lancamento-de-18...

Omega Pharma NV e Perrigo Company anunciam acordo de aquisição

20/11/2014 - 09:14


A Omega Pharma NV comunicou esta semana a aquisição por parte da Perrigo Company no valor de 4.500 milhões de euros. O negócio deverá estar concluído no primeiro trimestre de 2015.


Segundo Marc Coucke, CEO da Omega Pharma NV, “com este acordo será possível à Omega Pharma NV aumentar ainda mais o portefólio e as capacidades de produção e inovação, tendo como alicerce plataformas globais implantadas com sucesso e canais de distribuição que irão permitir uma melhora no serviço a clientes e fornecedores, É uma parceria que fortalece ambas as empresas e os seus serviços”.

 

A Omega Pharma NV nasceu em 1987 na Bélgica e é considerada um dos 10 principais players mundiais da indústria farmacêutica, distinguindo-se pelo seu dinamismo e constante inovação. Por seu lado, a Perrigo Company é um dos principais fornecedores, a nível mundial, de produtos OTC e genéricos e que beneficia de uma sólida reputação de líder na área da inovação

 

A Omega Pharma Portuguesa, em Portugal desde 2002 e filial do Grupo Multinacional Omega Pharma NV, está no grupo das 10 maiores empresas do mercado de Consumer Healthcare e assume um papel de liderança no mercado, que foi reforçado em 2012 ao adquirir um conjunto alargado de marcas como Lactacyd®, Antigrippin®e ou Paranix®.

 

 

Fonte: comunicado de imprensa 

AstraZeneca diz ter feito progresso significativo com novos medicamentos

19/11/2014 - 08:39


A AstraZeneca, determinada a mostrar que tem um forte futuro independente após rejeitar uma oferta de 118 mil milhões de dólares da Pfizer em Maio, disse ter feito um bom progresso no desenvolvimento de uma série de novos medicamentos, avança a agência Reuters.


Sinalizando um portefólio "líder na indústria" de medicamentos para o cancro que aumentam a imunidade, a companhia também adiantou a data de registo para um novo fármaco para o cancro do pulmão e afirmou que tem potencial para obter entre oito e dez novas aprovações de medicamentos em 2015-2016 em todas as áreas de doenças.

 

A empresa reiterou que está a caminho de retornar ao crescimento e que as vendas anuais avançarão em três quartos para superar 45 mil milhões de dólares até 2023, previsão que fez inicialmente em Maio, quando combatia a oferta da Pfizer.

 

Executivos da AstraZeneca apresentarão mais detalhes num encontro de investidores. O evento ocorre oito dias antes de regras de aquisição britânicas permitirem à Pfizer renovar a sua tentativa, opção que alguns investidores vêem agora como improvável.

 

"Mais que dobramos o número de medicamentos potenciais ma nossa linha de último estágio desde 2012 e estamos a caminho de voltar ao crescimento em 2017", disse o presidente-executivo da empresa, Pascal Soriot, em comunicado. "Estamos a construir uma companhia sustentável, mais durável e rentável".

 

Embora a empresa tenha mais medicamentos para serem lançados, a AstraZeneca ainda enfrenta grandes desafios, com diversas patentes expirando nos próximos anos, e Soriot disse que continuará a buscar parcerias e aquisições para fortalecer o negócio.

 

Fonte: Reuters
http://br.reuters.com/article/businessNews/idBRKCN0J214P20141118

Actavis adquire Allergan, a fabricante de tratamento anti-rugas Botox

18/11/2014 - 09:03


A farmacêutica Actavis acordou o pagamento de 66 mil milhões de dólares para comprar a Allergan. A principal derrotada deste negócio é a Valeant, que apresentou uma proposta conjunta com Bill Ackman,


A fabricante de Botox tem novo dono. A farmacêutica irlandesa Actavis chegou a acordo com a Allergan, fabricante do tratamento anti-rugas Botox, por 66 mil milhões de dólares (52,7 mil milhões de euros), segundo o comunicado desta segunda-feira, 17 de Novembro, avança o Jornal de Negócios.

 

A Actavis garante que este entendimento irá gerar uma das "dez maiores farmacêuticas a nível mundial", segundo o documento.

 

A Valeant é a principal derrotada. A farmacêutica canadiana apresentou uma oferta pública de aquisição (OPA) considerada como "hostil" pela administração da Allergan. A fabricante do Botox recusou 53 mil milhões de dólares pela oferta apresentada em conjunto com o fundo de investimento de Bill Ackman, Pershing Square Capital Management.

 

A entrada em cena de Bill Ackman gerou uma acusação de violação das regras de "insider-trading". Em causa está compra de uma participação na Allergan pelo Pershing Square após alegadamente ter tido conhecimento de que a Valeant iria apresentar uma oferta sobre a fabricante do tratamento anti-rugas.

 

As acções da Actavis somam 2,10% para 248,74 dólares e os títulos da Allergan valorizam 6,11% para 210,83 dólares.

 

 

Fonte: Jornal de Negócios
http://www.jornaldenegocios.pt/empresas/detalhe/actavis_adquire_fabrican...

Allergan e Actavis estão perto de acordo

17/11/2014 - 09:14


Allergan e Actavis estão perto de um acordo para uma fusão, com um negócio podendo ser anunciado esta segunda-feira, disse uma fonte familiarizada com o assunto, citada pela agência Reuters.

 

A Actavis provavelmente pagaria à Allergan entre 210 dólares e 220 dólares por acção, de acordo com a fonte.


As duas empresas recusaram comentar o assunto.

 

A Allergan está a tentar defender-se de uma oferta de aquisição hostil feita pela farmacêutica canadiana Valeant Pharmaceuticals International, que ofereceu cerca de 54 mil milhões de dólares em dinheiro e acções pela empresa, mas disse que estava preparada para elevar o valor para 200 dólares por acção.

 

A Allergan informou no início deste mês que estava em negociações com um segundo proponente e fontes identificaram a empresa como a Actavis.

 

Fonte: Reuters
http://br.reuters.com/article/businessNews/idBRKCN0J00X220141116

Saúde quer comprometer farmacêuticas com redução da despesa de 200 milhões

13/11/2014 - 08:36

O Ministério da Saúde e a Apifarma - que representa as empresas da indústria farmacêutica - não conseguiram ontem fechar um acordo para a redução da despesa com medicamentos no próximo ano, avança o Diário Ecómico.


Tal como o Económico avançou, ambas as partes têm interesse em chegar a um entendimento o quanto antes, evitando assim a aplicação de uma taxa sobre as vendas destas empresas, prevista no Orçamento do Estado para 2015. As negociações vão continuar nas próximas semanas.

 

Segundo apurou o Económico, o Ministério da Saúde quer comprometer a indústria farmacêutica com uma redução da despesa na ordem dos 200 milhões de euros no próximo ano. E, à semelhança do que aconteceu nos últimos anos, será aqui que se dá o impasse nas negociações, uma vez que as empresas não estão dispostas a ir tão longe.

 

Caso as negociações falhem, o Governo promete avançar com uma taxa sobre as vendas das farmacêuticas que nalguns casos pode chegar aos 15%.

 

O ministro Paulo Macedo prefere fechar um acordo e garantir alguma paz no sector. Mas terá de fazê-lo o quanto antes. É que o Ministério das Finanças quer aplicar a taxa, que garante receita imediata uma vez que será cobrada mensalmente.

 

Do lado da indústria, também há interesses diferentes. Primeiro porque os valores da taxa, a aplicar consoante o tipo de medicamento, penalizam mais umas empresas do que outras; depois porque até aqui as empresas que não aderiram aos protocolos não foram chamadas a contribuir para a redução da despesa. 

 

 

Fonte: Diário Económico
http://economico.sapo.pt/noticias/saude-quer-comprometer-farmaceuticas-c...

Portugal deve 18 milhões de euros à Pfizer

12/11/2014 - 07:08


O Governo português tem uma dívida de cerca de 18 milhões de euros (22 milhões de dólares) à farmacêutica Pfizer, considerando o valor por regularizar com prazo superior a um ano, escreve o Jornal de Negócios.


A informação é avançada pelo jornal espanhol Cinco Días. A publicação dá conta que os governos de Itália, Portugal, Grécia e Espanha deviam, até 28 de Setembro deste ano, 907 milhões de dólares (cerca de 731 milhões de euros) à Pfizer.

 

Quando tida em conta a dívida que ultrapassa o prazo de um ano, esse montante fixa-se nos 105 milhões de dólares (85 milhões de euros). A maioria fatia vai para Itália com 55 milhões de dólares.

 

Seguem-se Portugal com 22 milhões de dólares, Espanha com 17 milhões e Grécia com 11 milhões.

 

Em declarações recentes ao regulador norte-americano, a farmacêutica deu conta que está a acompanhar "de perto os desenvolvimentos com as contas a receber de governos e agências governamentais nos mercados europeus". Ainda assim, há melhorias no que diz respeito ao valor das dívidas com mais de um ano.

 

A Pfizer reconhece ainda uma tendência histórica para este tipo de atrasos para além dos prazos contratuais, mas diz-se focada em privilegiar "as boas relações com os nossos clientes e garantir uma abordagem humanitária" quanto à distribuição dos medicamentos.

 

O Negócios já entrou em contacto com o Ministério da Saúde português, aguardando uma reacção a esta situação.

 

 

Fonte: Jornal de Negócios
http://www.jornaldenegocios.pt/empresas/detalhe/portugal_deve_18_milhoes...

2LOGICAL leva conhecimento sobre mercado farmacêutico e da saúde a Angola e Moçambique

06/11/2014 - 11:56


2LOGICAL é o nome de uma nova empresa que se está a instalar em Angola e Moçambique e que pretende aumentar o conhecimento sobre o mercado farmacêutico e da saúde.

 

O objectivo principal da 2Logical é disponibilizar um conhecimento rigoroso sobre o mercado farmacêutico, estimando-o e medindo-o através de estudos e relatórios regulares.

 

"O conhecimento do mercado torna-o mais previsível e, como tal, será mais fácil para todos os intervenientes entender o que nele se consome e onde. Acreditamos que esta informação terá um valor acrescentado para a tomada de decisões estratégicas e operacionais de todos os “players” na área da saúde. O aumento do conhecimento trará confiança aos investidores que verão desta forma diminuída a sua margem de incerteza. O  aumento do conhecimento vai permitir ajustar e melhor direcionar as politicas de saúde ajudando a revelar comportamentos e necessidades.", explicam Daniel Ribeiro dos Santos e Pedro Rebelo, administradores da 2LOGICAL.

 

Baseando a sua actividade em elevados procedimentos de rigor e segurança na recolha, tratamento e georreferenciação da informação, e recorrendo-se da mais recente tecnologia em termos de softwares de análise de informação, as expectativas são de fazer em Angola e em Moçambique o que de melhor de faz no mundo em sectores de actividade semelhantes.

 

Para além do principal serviço que será medir os mercados farmacêuticos, a 2Logical pretende disponibilizar outros serviços na área da saúde que hoje ainda não existem nestes países e que irão permitir aos diferentes players desenvolverem a sua actividade de uma forma mais eficaz.

 

Constituída por profissionais com uma larga experiência em projectos nas áreas da informação de mercados da saúde, consultoria, CRM e serviços, a 2LOGICAL é uma empresa participada pelo Grupo Visabeira e pretende estabelecer parcerias com os principais players e intervenientes na área da saúde e da distribuição.

 

Mais informações em www.2logical.net 

Bial entra no Brasil e México

29/10/2014 - 08:59


A Bial vai lançar em breve o primeiro medicamento exclusivamente português no Brasil e México, reforçando a presença da farmacêutica nacional naquele continente, avança o Diário Económico.
A Bial já tem acordo com a multinacional americana moksha8 para a comercialização do seu fármaco Zebinix® - usado no tratamento da epilepsia e que custou aproximadamente 300 milhões de euros -, naqueles dois mercados da América Latina.


Contactada pelo Económico, a companhia portuguesa com sede na Maia não quis adiantar pormenores sobre este acordo, assinado em Julho, que reforça o contributo internacional na facturação de cerca de 220 milhões prevista para este ano.

 

A expansão para a América Latina, onde se espera que mercado farmacêutico a retalho venha a crescer 12% ao ano até aos 110 mil milhões de dólares em 2017, surge poucos meses depois de a Bial ter recebido luz verde para iniciar a comercialização do Zebinix®nos EUA, em Abril deste ano.

 

Quando completa 90 anos de existência, a empresa liderada por António Portela deverá anunciar mais novidades nos próximos meses. Na calha deverá estar um novo medicamento para o tratamento de Parkinson, cujo pedido para comercialização junto das autoridades europeias deverá ser feito até final do ano.

 

 


Fonte: Diário Económico
http://economico.sapo.pt/noticias/bial-entra-no-brasil-e-mexico_204730.html

Lucro da MSD recua 20,4% no terceiro trimestre

28/10/2014 - 08:27


Com queda nas vendas e perda de patentes, a farmacêutica MSD (conhecida nos EUA e Canadá como Merck & Co.) registou lucro líquido de 895 milhões de dólares no terceiro trimestre deste ano, pelo padrão contábil US GAAP, avança o Valor OnLine, citado pelo G1, o site noticioso da rede Globo.


O montante representou uma queda de 20,4% na comparação com o mesmo período do ano passado.

 

Já o lucro ajustado da companhia de Julho a Setembro foi de 2,73 mil milhões de dólares em 2013 para 2,62 mil milhões de dólares neste ano, uma queda de 4%.

 

As vendas da companhia passaram de 11,03 mil milhões de dólares de Julho a Setembro de 2013 para 10,56 mil milhões de dólares neste ano - queda de 4,3%.

 

O desempenho da empresa sofreu impacto da expiração de patentes de medicamentos e queda na venda de produtos para tratamento de hepatite C.

 

As vendas do Singulair®, medicamento usado no tratamento de asma, recuaram 20%, para 218 milhões de dólares, por causa da perda do mercado exclusivo. O medicamento Nasonex®, utilizado por pacientes que sofrem de rinite alérgica, também registou queda expressiva nas vendas, de 12%, para 261 milhões de dólares.

 

 

Fonte: Valor OnLine/G1
http://g1.globo.com/economia/negocios/noticia/2014/10/lucro-da-merck-rec...

RCM Pharmagazine

PHARMAGAZINE

Edição 18 online

 

 

A Revista de Comunicação e Marketing

 
 
 

Partners
Developed by