Johnson & Johnson vai comprar Alios BioPharma por 1,75 mil milhões

01/10/2014 - 08:54


A Johnson & Johnson anunciou que vai comprar a desenvolvedora privada de medicamentos Alios BioPharma por 1,75 mil milhões de dólares em dinheiro para ter acesso a um portefólio de medicamentos que combatem infecções virais, avança a agência Reuters.


A Johnson & Johnson disse que o acordo inclui o fármaco experimental da Alios para crianças com vírus sincicial respiratório.

 

Nos EUA, o vírus sincicial respiratório é a causa mais comum de uma inflamação nas pequenas vias aéreas do pulmão e pneumonia em crianças abaixo de 1 ano, segundo o Centro para Controlo e Prevenção de Doenças dos EUA.

 

 

Fonte: Reuters Brasil
http://br.reuters.com/article/businessNews/idBRKCN0HP1GC20140930

Daiichi Sankyo assina acordo de fusão com a Ambit Biosciences Corporation

30/09/2014 - 08:53


A Daiichi Sankyo anunciou esta segunda-feira que assinou um acordo de fusão com a Ambit Biosciences Corporation, empresa de biotecnologia sediada em San Diego, na Califórnia, EUA.


Este acordo irá permitir à Daiichi Sankyo enriquecer o seu portefólio de fármacos inovadores e posicionar-se como forte parceiro na I&D de soluções terapêuticas na área oncológica.

 

A Daiichi Sankyo vai adquirir todas as acções ordinárias em circulação da Ambit Biosciences por 15 dólares por acção em dinheiro através de uma oferta pública seguida de uma fusão com a subsidiária da Daiichi Sankyo, ou aproximadamente 315 milhões de dólares numa base totalmente diluída. Além do pagamento antecipado em dinheiro, cada accionista da Ambit Biosciences receberá uma valoração contingente (MVC), que habilita cada accionista a receber um pagamento em dinheiro adicional de até 4,50 dólares por cada acção se certas metas de comercialização relacionadas forem alcançadas. A transacção total é no valor de até 410 milhões de dólares numa base totalmente diluída.

 

A Ambit Biosciences, companhia biofarmacêutica de capital aberto, está focada na descoberta e desenvolvimento de medicamentos para tratar necessidades médicas não satisfeitas em oncologia, doenças auto-imunes e inflamatórias, inibindo as enzimas que são motores importantes para essas doenças. O principal fármaco experimental da Ambit Biosciences é o quizartinib, que está actualmente em fase III de ensaios clínicos em pacientes com leucemia mielóide aguda (LMA).

 

Leia o comunicado de imprensa na íntegra (em inglês) aqui.

 

Fonte: Daiichi Sankyo
http://www.daiichisankyo.com/media_investors/media_relations/press_relea...

Daiicho Sankyo seleccionada para o Dow Jones Sustainability Asia Pacific Index

25/09/2014 - 07:30


A Daiichi Sankyo foi pelo quinto ano consecutivo seleccionada para o Dow Jones Sustainability Asia Pacific Index (DJSI Ásia-Pacífico), um dos principais índices mundiais do Investimento Socialmente Responsável (SRI)*.


O DJSI é os índices globais da Dow Jones dos EUA e da Sustainable Asset Management (SAM) da Suíça, que avalia e selecciona companhias mundiais líderes, sustentáveis e orientadas em termos de desempenho económico, ambiental e social. Estes são um padrão importante de investimento para os investidores que têm interesse em responsabilidade social empresarial (RSE). De 600 companhias líderes dos mercados desenvolvidos na Ásia-Pacífico, o DJSI Ásia-Pacífico seleccionou os top 148 líderes de sustentabilidade regionais, incluindo 65 empresas japonesas.

 

Como uma empresa confiável para os stakeholders que têm interesse no seu crescimento sustentado e sucesso, a Daiichi Sankyo vai continuar a fazer todos os esforços para melhorar a "qualidade corporativa" e colocar em prática a sua missão, que é: "Contribuir para o enriquecimento da qualidade de vida em todo o mundo através da criação de produtos farmacêuticos inovadores e através do fornecimento de produtos farmacêuticos para diversas necessidades médicas".

 

 

*Um investimento com base em critérios que avaliam o desempenho de uma empresa em termos de responsabilidade social a partir de perspectivas ambientais, sociais e outros, além da análise financeira.

 

 

Fonte: Daiichi Sankyo
http://www.daiichisankyo.com/media_investors/media_relations/press_relea...

Merck compra Sigma-Aldrich

23/09/2014 - 08:31


A empresa farmacêutica alemã Merck KGaA acordou a compra da norte-americana Sigma-Aldrich Corp por 17 mil milhões de dólares que serão pagos em dinheiro, um negócio que permite à empresa alemã alargar a sua capacidade de investigação e desenvolvimento, avança o Jornal de Negócios.


A farmacêutica alemã Merck KGaA acordou a aquisição da norte-americana Sigma-Aldrich Corp por 17 mil milhões de dólares (cerca de 13,2 mil milhões de euros) que deverão ser pagos em dinheiro, segundo avança a agência Bloomberg.

 

O negócio que permite à companhia alemã alargar a sua capacidade ao nível das unidades de investigação pressupõe o pagamento de 140 dólares por acção da Sigma-Aldrich Corp, um montante 37% superior ao valor de fecho da passada sexta-feira da empresa norte-americana.

 

 

Fonte: Jornal de Negócios
http://www.jornaldenegocios.pt/empresas/detalhe/merck_compra_sigma_aldri...

Farmacêutica GSK condenada por corrupção na China

22/09/2014 - 08:07


O antigo responsável pela GlaxoSmithKline (GSK) na China, o britânico Mark Reilly e "outros responsáveis" foram levados à justiça tendo sido condenados a penas de prisão de entre dois a quatro anos, avança a agência Lusa, citada pelo Diário Digital.


A empresa farmacêutica britânica GSK foi considerada culpada de corrupção e condenada por um tribunal chinês ao pagamento de 380 milhões de euros, indica a agência Nova China.

 

O antigo responsável pela GSK na China, o britânico Mark Reilly e "outros responsáveis" foram levados à justiça tendo sido condenados a penas de prisão de entre dois a quatro anos, refere a notícia da agência oficial chinesa sem fornecer mais pormenores.

 

 

Fonte: Lusa/Diário Digital
http://diariodigital.sapo.pt/news.asp?id_news=731236

Esgotou-se o prazo para farmacêuticas assinarem protocolo

19/09/2014 - 08:40


Terminou na quarta-feira o prazo indicativo para as empresas da indústria farmacêutica assinarem o protocolo celebrado entre a Apifarma (associação do sector) e o Ministério da Saúde para a redução da despesa pública com medicamentos, avançou esta quinta-feira o Diário Económico.


O Diário Económico diz saber que, até à véspera do "dia D", algumas das principais multinacionais do sector ainda não tinham assinado o protocolo, colocando em risco, pelo menos em teoria, a viabilização do mesmo (que impõem que as empresas que assinem valham pelo menos 70% da despesa).

 

A resistência ou recusa de algumas empresas tem a ver com a fórmula de repartição do esforço de poupança pelo sector encontrada pela Apifarma, que penaliza mais as empresas com vendas concentradas nos hospitais. As empresas que vendem mais para as farmácias queixam-se de terem sido mais penalizadas nos últimos três anos.

 

Nem o Ministério da Saúde, nem a Apifarma estiveram disponíveis para comentar.

 

 

Fonte: Diário Económico
http://economico.sapo.pt/noticias/esgotouse-o-prazo-para-empresas-assina...

Baxter: nome da nova companhia biofarmacêutica mundial será Baxalta

18/09/2014 - 08:13


A Baxter International anuncia que o nome da sua nova companhia biofarmacêutica será Baxalta Incorporated. Com a divisão da Baxter em duas companhias globais independentes, a nova empresa biofarmacêutica cotada em bolsa tem lançamento previsto para meados de 2015. A sede corporativa das duas empresas ficará localizada no norte de Illinois.

 

A Baxter comunicou em Março deste ano os seus planos para a criação de duas companhias globais e independentes, sendo que a Baxalta fica centrada na comercialização de produtos biofarmacêuticos inovadores e a Baxter focada em terapias e tratamentos substitutivos renal assim como um amplo portefólio de soluções intravenosas e terapias nutricionais, entre outros.

 

Quando a separação ficar finalizada, a Baxalta planeia entrar na Bolsa de Valores de Nova Iorque (New York Stock Exchange, NYSE) sob o símbolo BXLT. A Baxter International continuará a ser cotada na Bolsa de Nova Iorque sob o símbolo BAX.

 

“A nomeação de Baxalta é o marco mais recente no processo de separação em duas companhias independentes. A escolha deste nome mantém a herança da Baxter enquanto empresa inovadora e com um legado de liderança. A nossa ideia passou por adicionar o sufixo “alta (derivada do termo em latim “altus”, que significa “alto” ou “profundo”) ao nome Baxter. As duas empresas partilham um profundo compromisso dar resposta às necessidades dos doentes actuais e futuros, que continuarão a inspirar-nos a seguir em frente”, explica o Dr. Ludwig Hantson, Presidente da Divisão de BioCiência da Baxter e que será também o futuro CEO da Baxalta.

 

A Baxalta terá aproximadamente US$ 6.000 milhões de receitas globais e será o principal fornecedor de soluções terapêuticas que salvam, prolongam e melhoram as vidas de pessoas com doenças raras, crónicas ou com opções limitadas de tratamento. Suportado por um avançado conhecimento técnico e de produção, o portefólio de produtos da Baxalta foi concebido com base num legado de inovação em distúrbios hemorrágicos e imunológicos, e está a expandir-se de forma a dar resposta a necessidades médicas não atendidas em áreas nicho da oncologia, bem como plataformas tecnológicas como terapia genética. O logótipo e identidade visual da Baxalta será revelado futuramente.

 

Sobre a Baxter

 

Através das suas subsidiárias, a Baxter International Inc.desenvolve, produz e comercializa produtos que salvam e prolongam as vidas de pessoas com hemofilia, distúrbios imunológicos, cancro, doenças infecciosas, doenças renais, traumas e outras condições médicas crónicas e agudas. Como empresa de saúde global e diversificada, a Baxter alia o conhecimento em dispositivos médicos, produtos farmacêuticos e biotecnologia para criar produtos que melhoram o cuidado aos doentes em todo o mundo.

 

 


Fonte: comunicado de imprensa 

AstraZeneca fecha acordo com Lilly para tratar Alzheimer

17/09/2014 - 08:34


A AstraZeneca assinou um acordo de parceria com a rival norte-americana Eli Lilly que poderá fazer a companhia britânica ganhar até 500 milhões de dólares se um promissor - mas arriscado - medicamento experimental para a doença de Alzheimer for bem-sucedido, avança o Diário Digital.


A AstraZeneca disse em Maio que estava a procurar um parceiro para a sua droga inibidora BACE chamada AZD3293, que está posicionada para entrar em estágio final de testes clínicos de Fase III contra a doença de Alzheimer.

 

A decisão da Lilly de entrar no projecto endossa a ciência por trás da nova droga oral, dada a longa história da farmacêutica norte-americana de tentar encontrar um tratamento eficaz para a doença que afecta a memória.

 

A Lilly vai pagar à AstraZeneca até 500 milhões de dólares para partilhar os direitos da droga, com a escala exacta dos pagamentos a ser determinada pelo progresso médico dos testes clínicos e pelo sucesso comercial.

 

Drogas inibidoras BACE funcionam ao bloquear uma enzima chamada beta-secretase, que está envolvida na produção de beta-amilóide, uma proteína que cria placas no cérebro consideradas uma das principais causas da doença de Alzheimer.

 

A AstraZeneca afirmou esta terça-feira que espera receber o primeiro pagamento de 50 milhões de dólares da Lilly no primeiro semestre de 2015, acrescentando que o negócio não terá nenhum impacto nos seus ganhos de 2014.

 

 

Fonte: Diário Digital
http://diariodigital.sapo.pt/news.asp?id_news=730076

Labesfal Genéricos vai abrir centro de investigação

16/09/2014 - 08:47


A Labesfal Genéricos está a prepara-se para criar um centro de inovação e investigação em Portugal. De acordo com o director financeiro da empresa, Filipe Marques, estão a ser feitos estudos no sentido começar a dar forma a este objectivo em 2015.

 

A empresa conta actualmente com cerca de 347 referências de medicamentos, mas os responsáveis pelo negócio querem estar em toda a cadeia do medicamento.

 

"Só assim conseguiremos ser competitivos, sobretudo, quando vamos oferecer os nossos produtos no mercado internacional", refere Filipe Marques.

 

O futuro centro de investigação pode levar, numa segunda fase, à criação de uma unidade complementar de produção de genéricos.

 

Ainda há pouco mais de um ano a marca a alemã Fresenius era a dona da totalidade da Labesfal.

 

"Queremos ser cada vez mais autónomos, embora a Fresenius seja um bom parceiro", reconhece.

 

O negócio foi comprado em 2005 e desde então a Fresenius tem instalações no distrito de Viseu onde produz também para a Labesfal Genéricos. A nova empresa é fruto de um ‘spin-off ‘ que aconteceu em 2013. Desde então os actuais accionistas - família Almiro Coimbra e o grupo Virtuoso - já investiram cerca de seis milhões no projecto, e a previsão é de mais um milhão até ao final do ano. Tudo capitais próprios, com algum endividamento de curto-prazo para situações pontuais, assegura o director financeiro. As apostas são claras: alargar o portefólio através da compra e investigação de novas moléculas, apostar em recursos humanos e infra-estruturas de qualidade, e ir lá para fora, redescobrindo um caminho que começou a ser trilhado há mais de meio século.

 

A Labesfal nasceu portuguesa. Laboratório de Especialidades Farmacêuticas Almiro foi o nome escolhido quando, nas décadas de 70/80, Joaquim Coimbra quis levar mais longe o negócio do sogro, João Almiro, um farmacêutico de Campo de Besteiros, cuja vontade e empenho o tinham tornado famoso na região desde a década de 50, quando tratava com os seus medicamentos os doentes dos Sanatórios do Caramulo.

 

O alicerce do negócio tornou-se o mercado hospitalar, com o Serviço Nacional de Saúde a ser um dos principais clientes da empresa. Uma experiência que permitiu abrir portas nos países de língua oficial portuguesa, concretamente em Cabo Verde onde a família Almiro Coimbra criou em 1991 a Inpharma.

 

Em 2005 a empresa portuguesa chamou a atenção dos alemães da Fresenius que passaram a ser os detentores da Labesfal. Mas o "bichinho" do negócio de família nunca se perdeu.

 

"Nunca abandonámos a área farmacêutica e fazia todo o sentido irmos buscar algo que sempre foi nosso", refere Sandra Almiro Coimbra, neta do fundador e administrador com o pelouro dos recurso humanos.

 

Foi assim que recompraram o negócio de genéricos em 2013.

 

Actualmente, as exportações representam cerca de três milhões de euros dos 14 milhões que a empresa quer facturar este ano. Para o ano, o objectivo é chegar aos 16 milhões de euros, refere Filipe Marques.

 

Convictos de que há espaço para ganhar quota neste mercado, a empresa quer também ter uma variante forte de responsabilidade social. Por isso criou um negócio onde a responsabilidade social também não foi deixada ao acaso. São disso exemplo o programa, "O que é o AGIR para NUTRIR" que ganha vida a partir de amanhã.

 

"A responsabilidade social está no ADN deste grupo" refere Paula Costa, Business Development & Export Manager da Labesfal.

 

"É necessário identificar e sensibilizar a população portuguesa para a desnutrição. Um problema que está a crescer e afecta, sobretudo, adultos a partir dos 40/50 anos com preponderância nos idosos", esclarece.

 

Para Sandra Almiro Coimbra esta é uma aposta natural porque o avô Almiro tem dedicado os últimos anos da sua vida a apoiar jovens e idosos desfavorecidos através de duas instituições que criou.

 

Agora as novas gerações querem levar a marca Labesfal mais longe.

 

Leia a entrevista do director-geral da Labesfal Genéricos ao Diário Económico aqui. 

 

 

Fonte: Diário Económico
http://economico.sapo.pt/noticias/labesfal-genericos-vai-abrir-centro-de...
 

IMS Health vai realizar edição de 2014 do IMS eHealth Forum

12/09/2014 - 08:26


A IMS Health encontra-se a organizar a segunda edição do IMS eHealth Forum, a realizar no próximo dia 10 de Outubro.


Após o sucesso do IMS eHealth Forum 2013, em que foi partilhada uma perspectiva estratégica relativa a diferentes abordagens da Indústria Farmacêutica ao canal Digital, a IMS Health quer este ano realçar e partilhar o lado mais tangível e prático das iniciativas testadas e implementadas neste mesmo canal, assim como as oportunidades a explorar.

 

O IMS eHealth Fórum 2014 contará com a presença de speakers de renome nacional e internacional, os quais têm desenvolvido inovadoras abordagens digitais e que irão trazer uma nova visão sobre a forma de comunicar, informar, interligar e integrar a gestão activa em saúde, ligando assim todos os pontos e intervenientes na área da saúde, na base das novas tecnologias.

 

Temas como a geração de eficiências através das tecnologias de informação, o suporte, empowerment e adesão dos pacientes através de soluções móveis, telemedicina e social media em saúde, serão abordados e debatidos, com a experiente perspectiva dos profissionais convidados.

 

Com lugar no Hotel Altis Belém em Lisboa, será uma oportunidade de participação num evento inovador, que mostrará novas e disruptivas soluções de comunicação e abordagem entre todos os players na Saúde, nomeadamente Indústria Farmacêutica, profissionais de saúde e pacientes.

 

 

Consulte a agenda do evento aqui. 

 

Registe-se aqui.

 

 

Fonte: comunicado de imprensa

RCM Pharmagazine

PHARMAGAZINE

Edição 18 online

 

 

A Revista de Comunicação e Marketing

 
 
 

Partners
Developed by